MapJam: uma nova forma de contar histórias

Ferramenta permite criar mapas interativos para armazenar dados ou criar uma nova interface para o conteúdo jornalístico digital.

O que é?

O MapJam é uma plataforma de edição, organização e armazenamento de dados em um mapa interativo e multimídia. A ferramenta permite ao usuário personalizar mapas, adicionar texto, diferentes “pinos” de localização, fotos, vídeos e gráficos.

Criado em São Francisco, EUA, o MapJam organiza as informações em diferentes blocos de texto, possibilitando ao usuário navegar pelo mapa para consumir todo o produto, além de oferecer contextos geográficos de um acontecimento.

Interface da plataforma de mapeamento

Ferramenta cria ambiente interativo para jornalismo de dados. Créditos: Arthur Finati

 

O MapJam é uma ferramenta grátis, porém se o (os) mapa (mapas) ultrapassar (em) 100.000 mil visualizações por mês, o MapJam envia um email ao usuário solicitando a assinatura do pacote premium para continuar utilizando a ferramenta.

Caso o usuário não queira assinar, a cada 1.000 novas visualizações nos seus mapas, cobra-se uma taxa de $ 0.15.

Como usar?

A plataforma pode ser acessada através de um navegador e não há necessidade de download. O usuário deve realizar um cadastro fornecendo algumas informações pessoais ou fazer o login usando contas de outras redes sociais (Twitter, Facebook, LinkedIn). Após o cadastro ou login, o usuário será direcionado ao seu primeiro mapa e deve inserir a localização desejada (rua, bairro, cidade, estado, país). 

Em “Personalize”, no canto esquerdo da tela, é possível realizar alterações estéticas, como cor e tamanho do cursor; adicionar título e legenda ao mapa; definir a área de cada marcação, mudando seu raio de abrangência.

Na opção “Market”, todos os internautas que tenham acesso ao link podem incluir marcações, incluindo endereço, descrição do acontecimento, fotos, áudios, etc. Em “Advanced”, ainda é possível inserir figuras geométricas, camadas ou até um mapa já existente.

Finalizado, seu projeto pode ser compartilhado privadamente (para emails, por exemplo) ou publicamente, sendo incorporado em algum site ou postado em redes sociais.

Saiba mais sobre como usar o MapJam no vídeo abaixo (em inglês):

OPINIÃO: Por que mapear?

Entre as vantagens do mapeamento com o MapJam, estão o fácil acesso para configurar o mapa, a possibilidade de interação entre jornalistas e usuários, a organização de dados complexos de modo mais evidente e expositivo, crowdsource (mapeamento colaborativo) e possibilidade de integração com sites de hospedagem, como o Weebly.

Por outro lado, a plataforma é gratuita até certo ponto. O MapJam não tem custos desde que o mapa não alcance 100.000 visualizações mensais; não dispõe de instruções ou dicas para uso e personalização e o idioma está em inglês.

Aplicações no jornalismo

O mapeamento é uma forma de explorar a convergência midiática e a característica multimídia exigida do jornalismo atualmente. Em vez de fazer um texto em tópicos sobre os pontos turísticos de um país, por exemplo, o leitor pode visualizar no mapa onde esse pontos estão, calcular as distâncias que interessem a ele e escolher quais pontos vai ver, sendo esta uma ferramenta que permite a interatividade. O mapeamento permite o leitor ir além de uma leitura linear como a de um jornal ou livro.

A ferramenta também agrega informações na própria forma em que apresenta a informação. O Think Olga – portal que produz notícias relacionadas ao feminismo e ao movimento das mulheres – fez um mapa colaborativo sobre assédio. Quem faz a leitura dessa matéria pode deduzir, por exemplo, em quais lugares há mais situações de assédio em São Paulo. Essa informação tem o valor de documentação dessa informação e também pode ser usada em pesquisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *