Luso Bauru sedia encontro de carros antigos

Exposição contou com mais de 300 veículos

No último dia 29, a Associação Luso Brasileira de Bauru (ALBB) sediou o 1º Encontro de Carros antigos da Luso. O evento contou com a exposição de veículos automotores e ciclomotores do século passado.

Iniciado às 9h30 da manhã, o domingo de muitos bauruenses e pessoas da região teve como trilha sonora os clássicos do rock com as bandas Vizinhos Cruéis, XYZ e Garage 90. Além disso, quem marcou presença no evento foi o DJ Robertinho Som, que usou curiosidades e propagandas antigas para levar o público de volta ao passado.

Banda XYZ no palco do 1º Encontro de Carros Antigos da Luso Bauru

A banda XYZ animou a tarde de domingo (Foto: Nayara Campos)

Quem pôde comparecer ao encontro também desfrutou de uma variada praça de alimentação com food trucks, costela de chão, bem como sobremesas variadas. Além disso, os amantes de carros antigos puderam adquirir produtos em stands de roupas, acessórios e itens colecionáveis.

Costela de chão

A costela de chão foi um dos grandes sucessos do evento de carros antigos (Foto: Nayara Campos)

Muito mais que relíquias

Os proprietários dos automóveis e ciclomotores antigos (em sua maioria de coleção) aproveitaram o momento para contarem sobre a história, a restauração e o amor que possuem pelos veículos. Nilton Alexandre Parisoto, dono do Renault 1093 (1965) e sócio do Clube de Carros Antigos do Cetro-Oeste Paulista, conta que o modelo foi lançado como uma espécie de apelo esportivo da montadora Willys Overland. “Juntamente com um motor de 53 cavalos, ele possui um câmbio de quatro marchas e requintes como conta giros e carburação dupla, que era muito rara na época”, diz.

Os carros de colecionadores não chamam a atenção apenas por seu estado de conservação, modelo ou ano, mas também por possuírem uma placa de identificação diferente da que vemos nas ruas. “O meu automóvel possui a placa preta pois é algo cedido a carros com mais de 30 anos, que possuem no mínimo 80% de originalidade e um certificado de um clube credenciado atestando isso”, explica.

Cobertura ao vivo

A equipe do Repórter Unesp esteve presente no evento e, por meio de redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter), produziu conteúdo ao vivo das atrações durante seis horas.

A seguir, confira os melhores momentos da cobertura.

“Levei dois anos e meio para adquiri-lo”, conta proprietário de Pontiac

Marcel Cabete, dono do Pontiac GTO 69, se emocionou ao contar a história de seu carro antigo. Ele relembra que, durante a década de 1960, surgiu a necessidade de se criar um automóvel com motor potente, porém, de tamanho menor para o padrão americano. “Isso foi feito para chamar a atenção do público e trazer mais lucro para as montadoras. Na época foi um sucesso de vendas, afinal, tinha carroceria pequena e motor grande”, explica.

Marcel Cabete e carro Pontiac GTO 69

Marcel Cabete mostra o motor do Pontiac GTO 69 (Foto: Nayara Campos)

O modelo foi resgatado por Marcel no Bairro Bela Vista (Bauru) há 25 anos e precisou passar por restauração, uma vez que estava com várias peças quebradas ou amassadas. “Eu passava por esse carro todos os dias quando ia para o estágio e ele me chamava muito a atenção. Quando descobri que era um ícone, decidi que o queria.  Levou dois anos e meio para eu enfim conseguir adquiri-lo, uma vez que o antigo proprietário não queria vende-lo”, relata.

Assista a primeira e a segunda parte da entrevista.

Não foi dessa vez, Mamonas!

A música “Pelados em Santos” dos Mamonas Assassinas fez sucesso durante a década de 1990 e definitivamente tornou a Brasília amarela um ícone da época. Porém, o que chamou a atenção no evento foi outro veículo amarelo: a Kombi do DJ Robertinho Som.

Primeiramente, o músico queria transformá-la em uma casa e viajar pelo país, mas, por meio do Clube de Carros Antigos, ele passou a usá-la como instrumento de trabalho. “O pessoal gostou da ideia de colocá-la como um cenário”, conta.

O automóvel não chama a atenção apenas dos aficionados por carros, mas também de quem acompanha o cinema internacional.  O modelo lembra o automóvel utilizado no filme “Pequena Miss Sunshine” (2006) e desperta a curiosidade de quem o assistiu.

Simultaneamente com a Kombi, Robertinho utiliza relíquias durante suas apresentações, como um microfone da década de 1940 (que na época era utilizado para transmissões de rádio), um gravador de rolo (criado em 1958 e utilizado até meados de 1986) e uma Tape Deck que utiliza fita cassete.

DJ Robertinho com equipamento de música

Além de se vestir à caráter para o evento, o DJ Robertinho leva itens antigos para tocar suas músicas (Foto: Nayara Campos)

Confira mais informações sobre os itens nos destaques do Instagram do Repórter Unesp.

GALERIA DE FOTOS – 1º ENCONTRO DE CARROS ANTIGOS DA LUSO BAURU

Confira a galeria completa em nossa página do Facebook.

Cobertura realizada pelos alunos do 3º ano de Jornalismo da Unesp de Bauru, cujo grupo era formado por:

Caroline Roxo (Facebook)
Dandara Adrien (reportagem)
Fernanda Pereira (Instagram)
Flávia Gasparini (pós-produção)
Guilherme Ribeiro (câmera)
Lincoln Gomes (produção)
Maria Eduarda Souza (Twitter)
Mariana David (produção)
Nayara Campos (fotografia)
Rafael Almeida (Facebook)
Taleessa Silva (câmera)
Victor Zamberlan (reportagem)

Da esquerda para a direita: Dandara Adrien, Fernanda Pereira, Rafael Almeida, Taleessa Silva, Maria Eduarda Souza, Mariana David, Flávia Gasparini, Nayara Campos, Victor Zamberlan, Lincoln Gomes, Caroline Roxo e Guilherme Ribeiro

One thought on “Luso Bauru sedia encontro de carros antigos”

  1. Dandara Adrien Aveiro says:

    O evento foi incrível e eu não poderia estar mais feliz e realizada por ter participado dessa cobertura. Além disso, toda a equipe estava dedicada e empenhada em produzir um bom conteúdo online para os seguidores; trabalhar com eles fez toda a diferença pra mim e eu só tenho a agradecer. E meu muito obrigada também vai para a Luso, as bandas, os integrantes do Clube de Carros Antigos do centro-oeste paulista, DJ, donos de barracas móveis e food trucks que nos receberam tão bem, nos concederam entrevistas e nos permitiram um material de qualidade para quem estava acompanhando. E agradeço a todos que estavam ligades nas redes sociais, dando aquela força pra equipe. Foi um domingo agradável e muito gratificante. A maior cobertura que o Repórter Unesp já viu e eu estou muito orgulhosa do nosso trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *