Projetos de Extensão podem sofrer cortes

Crise na Unesp e as mudanças na política de extensão podem afetar os projetos do curso de jornalismo.

A extensão universitária é a área acadêmica que desenvolve projetos visando utilizar os conhecimentos adquiridos na universidade em prol da sociedade. Entretanto, diversos projetos de extensão têm sofrido cortes de bolsa. Os cortes se dão, sobretudo, por fatores como a crise orçamentária da Unesp e a mudança nas diretrizes nacionais das políticas de extensão universitária.

Juarez  Xavier, professor de jornalismo na Unesp Bauru e membro da Pró-reitoria de Extensão Universitária (PROEX), explica que os recursos para a extensão vem do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), implantado no ano de 2010. “Diferente das dimensões de ensino e pesquisa, a extensão não capta recursos externos”, declara.

De acordo com Juarez, a Unesp passa por uma crise de recursos, o que explica alguns cortes na extensão, “A Unesp tem problemas de orçamento, pois a maior parte dele cobre a folha salarial de funcionários ativos e inativos”.  Além disso, ele explica que a Unesp tem problemas financeiros “em razão da ampliação de campus e vagas, sem contrapartida do governo estadual”.

Ainda segundo Juarez, outro fator que pode ter influenciado nos cortes foi a mudança nas políticas nacionais de extensão universitária. Em 2018, o Conselho Nacional de Educação aprovou novas diretrizes para a extensão universitária em todo o país. Assim, as instituições de ensino superior ficaram responsáveis por adequar suas respectivas extensões às novas exigências.

O documento delimita uma série de características necessárias para a manutenção dos projetos. Dentre elas, estão a necessidade de dialogar com diversos setores da sociedade e de incentivar o enfrentamento de questões sociais. Os projetos que não se enquadram nessas características acabaram sendo descontinuados. “Atividades, ainda que legítimas , se não tiverem a participação da população externa, não são extensão”, afirma Juarez.

Um olhar de quem já se formou

A jornalista Ana Carolina Amaral, formada na Unesp em 2010 e uma das fundadoras do jornal Impacto Ambiental, relembra que durante o período em que estudava, o cenário dos projetos de extensão no curso de jornalismo da Unesp era mais frutífero. “ Tinha um  ecossistema de projetos de extensão que davam a chance de experimentar o jornalismo de diferentes maneiras”, declara.

“Os projetos permitem ligar a teoria, a realidade de Bauru e o olhar para o futuro”, diz Ana. 

Para ela, os cortes são motivo de grande preocupação para os estudantes de jornalismo, em decorrência da realidade da profissão. “Já é uma situação de tanta vulnerabilidade desse profissional, que tirar no começo da formação uma oportunidade de testar a profissão é uma perda muito significativa para a graduação”, conclui.

Texto: Victor Barreto de Oliveira

Produção multimídia: Gabriela Arruda

Editora: Caroline Oréfice

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *