No mês das mulheres, evento discute a importância das políticas de atendimento às vítimas de violência

Dia 8 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher. Por isso, na última terça-feira, 12, a Ordem dos Advogados do Brasil de Bauru (OAB/Bauru) em parceria com a Secretaria do Bem-Estar Social e a Prefeitura Municipal organizou o “Eles por Elas: Caminhos Para a Construção da Igualdade”. O evento aconteceu no auditório da OAB, localizado na Avenida Nações Unidas.

Com o intuito de promover uma série de discussões e reflexões acerca das políticas públicas de prevenção e atendimento às mulheres vítimas de agressões e abusos, o evento contou com a participação de diversas autoridades bauruenses para uma mesa redonda. O Repórter Unesp esteve lá e acompanhou tudo bem de perto no Facebook, Twitter e Instagram e ainda conversou com alguns dos convidados!

Às 19h04, a repórter Maria Gabriela Zanotti entrou ao vivo com a presidente do Conselho Municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Bauru, Marisabel Moreno Ghirardello, que explicou um pouquinho mais sobre o evento. Ela destacou que a ideia surgiu a partir da campanha HeForShe, da ONU, somado à necessidade de discutir o fluxo de atendimento às vítimas de agressão na cidade.

Já às 19h35, a outra repórter da nossa equipe, Giovanna Castro, entrevistou a delegada Priscila Bianchini. Ela explicou que a Delegacia da Mulher está no caminho de se tornar 24h, motivo que desencadeou a Marcha das Mulheres no último sábado (9).

Iniciado às 19h30, quem abriu o evento foi o cordeirista Pedro Popoff, ou Pedro do Cordel. Em homenagem à Lei Maria da Penha, ele declamou um cordel no qual, por meio de boas rimas, citava todos os direitos prescritos na lei.

Logo em seguida, deu-se início à mesa redonda que tinha como mediadora a jornalista Suelen Rosim. As discussões contaram com a participação de Daniele Mendes de Melo, juíza coordenadora do Anexo de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher na Comarca de Bauru; Márcia Regina Negrisoli Fernandez Polettini, presidente da OAB; Priscila Bianchini, delegada titular da Delegacia de Defesa da Mulher; Célia Maria Retz, coordenadora do curso de pós-graduação/especialização em Estratégias Competitivas: Comunicação, Inovação e Liderança da Unesp Bauru; Kimberli Medolago, estudante de Psicologia da UNIP que desenvolveu o trabalho “Lei Maria da Penha”; Romilda Marins, líder comunitária do bairro Pousada 2 e conselheira do conselho gestor do posto de saúde da família.

Além delas, outras autoridades contribuíram para o debate. Entre eles estava Willian Davila Delgallo, médico do Instituto de Criminalística e Instituto Médico Legal (IML); Tenente Coronel Ézio Carlos Vieira de Melo, comandante do 4º Batalhão Polícia Militar; Pedro Antônio de Oliveira Machado, procurador do Ministério Público Federal e Eduardo Henrique dos Santos, delegado coordenador da Central de Polícia Judiciária de Bauru.

Às 20h45, uma hora após o início da mesa redonda, nossas repórteres voltam ao vivo destacando a fala da juíza Daniele, que comentou sobre a Lei Maria da Penha e o seu reconhecimento no mundo inteiro. Nossa equipe também explicou os tipos de violências que a lei inclui. São elas: física, sexual, moral, psicológica e patrimonial.

Na última entrada ao vivo, às 22h23, a presidente da OAB, primeira mulher a assumir o cargo, Márcia Polettini conversou um pouquinho com a nossa equipe. Márcia explicou que é a Carta Aberta sobre a Violência Contra a Mulher marca um compromisso que as autoridades têm com a segurança, defesa e acolhimento das vítimas. O documento foi lido ao final do evento.

Quer conferir mais do que aconteceu no evento? Venha conferir nossa galeria com fotos exclusivas de todos os momentos!

Texto: Ariely Polidoro | Fotos: Gustavo Lustosa, Rafael de Toledo e Sergio Pantolfi

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *