Mailchimp: Newsletters automatizadas para marketing

Para que serve a newsletter?

Conhecida em português como boletim informativo, a newsletter é uma maneira de fidelizar o público de um determinado veículo, fazendo com que ele tenha acesso a um resumo das principais matérias do site, sem que ele necessariamente tenha que entrar na página. Esta lista de matérias é enviada por e-mail periodicamente, mediante cadastro prévio.

É uma forma de fazer com que o público-alvo esteja sempre por dentro das novidades do veículo, de que o assinante acompanhe as publicações de uma maneira geral, mas possa ter acesso completo ao conteúdo que julgar mais interessante, de acordo com o seu interesse próprio.

Qual o papel do Mailchimp?

O Mailchimp, por sua vez, é uma das principais ferramentas disponíveis para produção de newsletters atualmente. A versão grátis é bem completa e fácil de usar. Ela disponibiliza 12.000 disparos de e-mail por mês, com um alcance de até 2.000 assinantes. Para blogs e outros veículos de menor porte, são bons números.

No quesito visual, mesmo sem ser programador ou designer, é possível criar layouts interessantes porque a plataforma disponibiliza templates dos mais diversos, que podem ser modificados e ajustados para se adequarem mais à proposta de quem utiliza. A experiência com a base da ferramenta, de uma maneira geral, é bastante intuitiva e autoexplicativa – principalmente para a criação de conteúdo e análise de relatórios de desempenho dos disparos de e-mail.

Como utilizar

Para começar, basta clicar em “criar uma campanha”. Neste momento, você será direcionado a uma página de seleção de template e terá acesso a um painel “arrasta e cola” muito simples de utilizar. É importante que o usuário modifique o fuso horário para a região que habita e as demais configurações. Assim é possível garantir que os emails sejam enviados no horário correto. É justamente pelo fuso horário escolhido pelo usuário que o MailChimp irá se orientar para disparar as campanhas.

Quando o conteúdo estiver pronto, você “dispara” a newsletter para a lista de contatos cadastrados (elas são como uma agenda, na qual se guarda as informações das pessoas que se inscreveram para receber seus emails) e, por um relatório de desempenho, é possível acompanhar em um período de tempo não apenas quem abriu o e-mail, como também quem clicou em links, por exemplo.

Alguns problemas

Entre os pontos negativos da ferramenta está o fato de que toda ela está disponível apenas em inglês. Como todo o processo é bastante intuitivo, no plano básico a questão da linguagem não se torna um grande problema. Mas para utilizar configurações mais avançadas, caso a pessoa não domine o inglês, é possível que ela tenha uma certa dificuldade.

Além disso, o plano inicial, de até 2.000 assinantes, apesar de ser gratuito, leva a assinatura da ferramenta ao fim de cada e-mail disparado, ou seja, tem uma propaganda do Mailchimp em todas as newsletters enviadas. Para se livrar desta publicidade, há várias opções de pacotes e planos. A maioria varia de acordo com a quantidade de assinantes, do tamanho da lista de e-mail.

Avaliação

O Mailchimp acaba sendo uma ótima saída para pequenos veículos que querem manter o público informado sobre o seu conteúdo próprio, ou até mesmo buscando materiais diversos sobre um determinado assunto de outros veículos informativos. 

Apesar de ter alguns pontos negativos como a linguagem e a presença de publicidade da ferramenta quando utilizando o plano básico, ele tem também muitas vantagens como um layout intuitivo e templates que possibilitam a criação de e-mails diferenciados e bem estruturados.

Texto: Bárbara Alcântara

Foto: Mailchimp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *