A restauração de um acervo: conheça as obras dos Irmãos Ponce Paz

Do dia 3 de agosto até 14 de setembro deste ano, a Casa Ponce Paz, sede da Pinacoteca Municipal de Bauru, no interior de São Paulo, recebeu a exposição “Irmãos Ponce Paz e os artistas bauruenses: a restauração de um acervo”.

O projeto foi aprovado pelo Programa de Ação Cultural – PROAC-SP no edital nº 19/2017 – preservação de acervos museológicos, trazendo a curadoria de Manuel Júlio Vera Del Carpio e Adriana Vera Duarte, com o objetivo de valorizar a produção artística de João Ponce Paz, Antonio Ponce Paz e Salvador Ponce Paz.

10 anos de Pinacoteca na Casa Ponce Paz

Construída no centro histórico da cidade, no final da década de 30, a edificação já foi residência familiar e desde 2008 a Secretaria Municipal de Cultura é responsável pelo local. Ela ganhou esse nome por conter em seus cômodos várias obras dos artistas Ponce Paz, feitas para os antigos moradores na década de 40.

Os irmãos, de origem espanhola, moraram tanto em Bauru como em São Paulo e dedicaram suas vidas à arte, se envolvendo em exposições e iniciativas artísticas. Antônio Ponce Paz trabalhou como pintor e escultor, transformando rostos como o do ex-prefeito da cidade Ernesto Monte, Otávio Pinheiro Brizolla e Rodrigues Alves em bustos.  

João e Salvador Ponce Paz atuaram como profissionais artesanais, voltados para o uso de tintas, pintura e desenho e até mesmo decoração de casas.  No ano de 1947, João Ponce Paz fundou a União Bauruense de Artes Plásticas, que se tornou um grande incentivo para o crescimento das artes plásticas na cidade. Ao longo de suas vidas, os três irmãos foram homenageados várias vezes pela importância de seus trabalhos para a cultura artística de Bauru.

“Os irmãos artistas tiveram uma grande produção artística, retrataram em suas obras muitos locais por onde passaram e viveram como praças, ruas e praias paulistas, tornando-se assim um importante testemunho histórico para o cenário paulista e para o Brasil”, afirma a conservadora-restauradora e especialista em pinturas sobre tela, madeira e papel, esculturas em madeira e gesso, Adriana Vera Duarte, contatada pela equipe da Pinacoteca para que elaborasse um projeto de Conservação e Restauração da instituição, que incluía a coleção de pinturas dos Irmãos Ponce Paz. Junto com ela, a equipe responsável pelo restauro também é composta por Fabiana Ferreira Rocha, Luiza Cristina Mendes da Silva Barbosa e Eric Max Hess.

Uma grande missão

Luiza Barbosa, museóloga formada pela UNIRIO e especialista em arte e cultura, trabalha há três anos como museóloga concursada da Secretaria de Cultura de Bauru, e Representante Regional do SISEM/SP (Sistema Estadual de Museus de São Paulo), e conta como o projeto se iniciou:  “Quando eu e o Paulo, meu colega na Pinacoteca, fomos até a chácara onde o acervo dos irmãos Ponce estava e fizemos um diagnóstico preliminar do que teríamos pela frente. Após essa visita, fizemos contato com a Adriana e começamos a pensar e escrever juntos a proposta. Fizemos a adequação de uma área de guarda para receber essa coleção e continuamos o processo”.

“Meu trabalho foi sempre nas medidas de conservação do acervo e algumas intervenções de restauração também”, também diz a museóloga. E então uma coleção com muita qualidade técnica foi formada, mesclada por pinturas á óleo em vários suportes, duas esculturas e alguns desenhos em papel, muitas com relevância histórica ao descreverem a cidade de Bauru do século XX.

Em relação ao processo de restauração, Adriana Duarte explica que “todo processo de restauração inicia-se pelo diagnóstico, ou seja é feita uma análise do estado de conservação da obra de arte, seja ela, pintura, escultura ou desenho.  Após esta primeira etapa, é possível realizar o Projeto de Restauro onde são definidos os materiais a serem utilizados e os procedimentos a serem realizados, como higienização, limpeza química, tratamento do suporte (tela, papel, madeira), tratamento da camada pictórica (pintura), terminando pelo envernizamento da obra”.

Após a abertura da exposição, Luiza viu todo esforço e trabalho dela e da equipe valer a pena, demonstrando uma satisfação e gratidão imensa, “pessoalmente para mim esse projeto foi o mais fantástico que já me envolvi já que se trata de restauração. Este assunto é muito delicado, exige disciplina, muito investimento e uma equipe minuciosa e dedicada. Conseguimos cumprir todos os prazos junto ao PROAC – SP (órgão estadual de fomento à cultura) e nos superamos em tudo, inclusive na cooperação para atender o público no ateliê aberto, oficinas e até atendendo a mídia nas entrevistas”.

Segundo ela, a missão foi cumprida, com a exposição transmitindo exatamente como foi o projeto e conseguindo ir além, “ela conta minuciosamente e ilustra quem foram os irmãos Ponce Paz, qual a importância deles para o município e principalmente a qualidade técnica e artística de ambos. Eles foram os precursores das Artes Visuais na cidade e se preocupavam com a preservação da história e artes em Bauru”, exprime Luiza.

Como museóloga do Departamento de proteção ao Patrimônio Cultural da cidade de Bauru, Luiza também é responsável pela gestão das coleções museológicas do Museu Ferroviário Regional de Bauru e do Museu Histórico Municipal: “Desta forma, as transformações e modernizações que foram implementadas visavam o melhor acondicionamento dos acervos e documentos. A metodologia de catalogação foi iniciada com intuito de mapear todos os bens culturais existentes nesses museus, uma Política de Acervo foi construída, mostrando o perfil de acervo de cada uma das instituições museais e a documentação foi sistematizada. Todas essas ações visam melhorar a gestão e principalmente a preservação desses bens e por consequência do patrimônio cultural do município. “A Pinacoteca ainda é recente mas já conseguimos formação de público nesta instituição”, finaliza.

Texto: Giovana Gomes

Produção multimídia: Nádia Linhares

Edição: Caroline Cardillo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *