Novos padrões de consumo dos Millennials refletem na música

Dicas para uma geração diretamente conectada ao universo musical

A geração Millennial, que compreende os nascidos entre 1977 e 1997 aproximadamente, tem revelado novos padrões de consumo, que se manifestam em todos os tipos de mercado. No cenário da música, enquanto a compra de CDs diminuiu, o gasto com shows ao vivo aumentou. Uma pesquisa realizada em 2015 nos Estados Unidos, pela Eventbrite, plataforma que analisa a preferência de eventos, mostrou que 60% dos jovens Millennials desejam comparecer a mais shows.

O estilo de vida que essa geração preza se relaciona muito mais à questão de vivenciar momentos e ser aceito, do que apenas consumir produtos. Em relação a isso, a mesma pesquisa mostrou que 46% dos entrevistados sentiram que ficaram de fora porque não participaram de nenhum show em 2015.

Uma outra pesquisa relacionada à música, feita pelo Repórter Unesp no mês passado, por meio de redes sociais, traçou um perfil de preferência entre 129 participantes. A partir dos resultados, que estão no infográfico abaixo, foi possível perceber alguns padrões:

Resultados da pesquisa de público feita pela equipe do Repórter Unesp (Produção: Larissa Caliari)

Com o desenvolvimento das plataformas de streaming, a Geração Y acaba muitas vezes se prendendo a uma bolha cultural. Isso porque nessas plataformas há um sistema de recomendações que é personalizado mediante o que cada um escuta. Sendo assim, os usuários tendem a ouvir somente o que lhes é automaticamente recomendado pelo programa. Já os pais dessa geração ouviam discos e CDs sugeridos por amigos e, assim, expandiam seus gostos.

O Spotify, serviço de streaming mais utilizado pelos jovens para ouvir música, segundo a pesquisa de público do Repórter Unesp, tem um dos sistemas de recomendação mais avançados do mercado. Ainda que a internet ofereça inúmeras possibilidades, esses algoritmos traçam um perfil de gosto dos usuários e criam um universo confortável, seguindo as preferências já estabelecidas.

Pensando nisso, a lista abaixo sugere novos recursos para quem tem interesse em desbravar o mundo musical de formas diferentes. Além disso, inclui uma ferramenta do Spotify que permite verificar o perfil de cada usuário! Confira:

1. Google Music Timeline

(Foto: Reprodução)

Que tal viajar ao longo das seis últimas décadas através da evolução musical? Trazendo os principais estilos musicais, o Music Timeline é uma linha do tempo que te dá informações sobre álbuns, músicas e artistas. Logo de início, há um gráfico que mostra os estilos musicais mais populares de acordo com cada década.
Se você nasceu entre 1950 e 2010, pode descobrir qual era o artista, estilo ou álbum mais tocado naquela época! Além disso, se você quiser ouvir algum álbum, o site te direciona para o Google Play Music, acervo online em que você pode comprá-lo inteiro ou apenas músicas específicas.

2. Every Noise at Once

(Foto: Reprodução)

Para quem gosta de novidades, este é o caminho certo! O Every Noise at Once é um mapa com 1.400 estilos musicais diferentes. A intenção da Echo Nest, companhia criadora comprada pelo Spotify, é fazer o usuário sair da própria bolha e navegar de uma forma diferente pelo mundo da música. O mapa é considerado uma “bagunça”, justamente para você se perder (ou se encontrar). Assim, basta clicar sobre algum estilo musical para ouvi-lo, ou ainda clicar sobre a seta ao lado do nome do estilo para abrir uma subdivisão de artistas! Para o próximo passo, é necessário ter um cadastro no Spotify e, a partir daí, é possível criar playlists com suas novas descobertas.

3. Spotify.me

(Foto: Reprodução)

Ferramenta criada pela plataforma de streaming queridinha dos jovens, o Spotify.me traça o perfil dos usuários do Spotify. Baseado no que o usuário ouve, é criado um perfil detalhado.  São listados suas músicas e artistas preferidos, o gênero mais tocado e o horário de maior atividade. É feito tanto um histórico geral – desde quando o usuário entrou no Spotify – quanto um mais recente. Ao final, você pode salvar uma playlist criada especialmente para você, a partir desse perfil traçado.

4. Inside Music

(Foto: Reprodução)

Parceria do Google e Song Exploder, o Inside Music é um projeto que permite ao usuário controlar diferentes elementos sonoros. São seis músicas disponíveis, entre rock, pop indie, hip hop e outros. Você pode desativar e reativar os efeitos de cada uma dessas músicas para ter a experiência de uma realidade virtual musical.

5. Song Maker da Google
Programa de criar música

(Foto: Reprodução)

Essa é para os músicos de plantão, já que o Song Maker permite que o usuário crie suas próprias músicas! Basta acessar o site e escolher um dos instrumentos disponíveis. Você pode controlar o tempo de reprodução e se aventurar, pois o sequenciador oferece diferentes ritmos e melodias.

 

Texto: Sofia Hermoso

Produção multimídia: Larissa Caliari

Edição: Clara Tadayozzi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *